quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Projeto de José Maria Sobrinho

Para os que vivem reclamando, que sempre soltam as pérolas de "ninguém faz nada pelo Mengão", proponho a leitura do material que, por ter 11 páginas, está disponível aqui , mas que publicamos a primeira parte para que todos entendam do que se trata.

Agora, se vocês estão afim de discutir a cor da chuteira de beltrano, aí entenderei que a recíproca não é verdadeira.

Baixem o material, leiam, pois vale a pena não somente entender como apoiar este tipo de trabalho desenvolvido e proposto pelo JMS.


AUTONOMIA DO FUTEBOL

Clube de Regatas do Flamengo

Ago10




“... o desastre que pode realmente ocorrer
mataria a nossa “bala de prata do Zorro”: o Zico.”



Considero essa frase, de autoria de um amigo, sócio atuante no Flamengo, muito oportuna e pertinente. Falávamos sobre as dificuldades políticas para acertar a Administração do Clube e de uma hipotética retirada do Zico, acontecimento de conseqüências inimagináveis.

Sem dúvida, os deuses rubro-negros atuaram para entregar ao Zico essa tarefa hercúlea de transformar, atualizar o modelo de gestão do CRF, a começar e tendo como exemplo a Autonomia do Futebol.

Como maior ídolo, pelo seu carisma, pela sua credibilidade, pela sua experiência, pela aceitação quase unânime, realmente, nesse momento, só o Zico pode levar a cabo essa missão.

Àqueles descompromissados com a politicagem do CRF, que abominam a luta fratricida pelo Poder, cabem cerrar fileiras no apoio ao Zico e ao seu Plano.

Ao Zico compete apresentar, tão logo seja possível, as diretrizes básicas e o seu planejamento para se alcançar a Autonomia do Futebol.

“Grilado” e preocupado com a frase de início citada e com a situação atual, resolvi prestar a minha modesta colaboração, através do presente trabalho, com o intuito de fornecer, em forma de sinopse, subsídios a uma discussão isenta e profícua.

Assim, o trabalho foi enviado, primeiramente, ao Zico e à Presidenta Patrícia Amorim.


Questões Básicas Autonomia do Futebol

O encaminhamento da discussão sobre a Autonomia do Futebol passa por três questões básicas:

 Por que a Autonomia?

 Em que consiste a Autonomia?

 Como alcançar a Autonomia?

I. Por que a Autonomia?

Pela direção do CRF, nos últimos 25 anos, passaram todas as correntes políticas, com presidentes, vice-presidentes, diretores, de qualificações e personalidades distintas. E o Flamengo, como instituição, a cada ano, se enfraquece mais. Então, não é só uma questão de pessoas, como alguns dizem.

Títulos importantes, nacionais e internacionais, tornaram-se acidentais e raros.

O Futebol representa cerca de 80% da receita do CRF, estimada em R$ 150 milhões, para 2010. Esses números, por si sós, exigem uma gestão própria, ágil, autônoma, profissional, especializada, planejada, que tenha continuidade e comprometimentos com metas (resultados), livre da influência direta e permanente dos dirigentes de outros setores do Clube.

Os fatos que justificam a transformação são crônicos, inúmeros e incontestáveis, demonstrando ser evidente que o Flamengo tem que mudar urgentemente o seu modelo de administração/gestão. A seguir uma amostra desses fatos:

Fatos

- a interminável construção do CT;
- o continuado aumento do passivo do CRF;
- a reforma do Estatuto. A atuação dos Conselhos;
- a inexistência de Planejamento, de um Plano Plurianual;
- a falta de gestão orçamentária (um absurdo!);
- a falta de compreensão da verdadeira grandeza do Flamengo, com o
Incompreensível distanciamento da Nação Rubro-Negra;
- a queda acentuada e constante no número de sócios (na contramão de outros
coirmãos);
- a inexistência de uma política salarial, para funcionários e atletas;
- o apadrinhamento nas contratações de funcionários;
- os salários frequentemente em atraso;
- as funções executivas, que exigem dedicação integral, a cargo de voluntários,
com tempo reduzido;




Autonomia do Futebol

A todos aqueles que se interessaram por este trabalho e pelas apreciações nele explicitadas: Muito Obrigado!

Estamos abertos e receberemos, com muita satisfação, dúvidas, críticas e sugestões, na certeza de que aperfeiçoarão a proposta.

Um especial agradecimento ao meu parceiro e Amigo “maestro” Junior pelos pítacos que deu ao trabalho, com a competência de sempre.

Cordiais Saudações Rubro-Negras.

José Maria Sobrinho
Sócio Emérito do CRF

Flamengo Net

Comentários